Kia Notícias

Notícia KIA CELEBRA 10 ANOS DO ICÓNICO ‘TIGER NOSE’

11-09-2017

A assinatura de design que mudou de forma decisiva os modelos Kia está a celebrar o seu décimo aniversário: foi no Salão de Frankfurt de 2007 que surgiu pela primeira vez a grelha “Tiger Nose” (“Nariz de Tigre”), assinada por Peter Schreyer.

Há 10 anos, no IAA 2007, a Kia apresentava o Kee, um concept-car com linhas de coupé desportivo. Mas esta era apenas uma parte da história. O que mais se esperava por aquela altura era perceber como o novo chefe de design, Peter Schreyer, ia mostrar a sua visão do novo design da Kia: o “Tiger Nose” era o primeiro sinal daquela que acabaria por se revelar uma das maiores mudanças da indústria automóvel recente.

A icónica grelha dianteira confere aos modelos da Kia uma expressão distinta e um porte confiante. À luz do crescimento da marca, esta confiança é justificada. Com números de vendas que triplicaram desde 2006 e com 30 vitórias nos prémios de design Red Dot e iF Awards desde 2009, o “Tiger Nose” tem sido a face da estratégia de evolução liderada pelo design que a marca adoptou na última década.

Em 2007, a Kia detinha já um elevado padrão de qualidade e valor nos seus carros, como ficava claro pelos 7 anos de garantia no modelo cee’d, que a marca lançou nesse ano. O que este construtor precisava agora era de uma filosofia de design clara e de uma assinatura de marca que fizesse com que os clientes reconhecem de forma imediata todo e qualquer modelo Kia.

Foi dada total liberdade a Peter Schreyer para desenvolver esta filosofia de design: “Receber assim carta branca para criar toda a linguagem de design de uma marca automóvel é muito raro e uma honra notável. Um dia, o Kee será olhado como o ponto de partida para a visão liderada pelo design que a Kia adoptou num determinado momento da sua história”.

 

Schreyer resumiu a sua estratégia de design como “a simplicidade da linha reta”, afirmando, a propósito do “Tiger Nose”: “O rosto da Kia lembra um tigre – poderoso, peculiar e, ao mesmo tempo, familiar. No entanto, este design não começou com a ideia de um nariz de tigre, antes é o produto de muitas horas passadas em busca de um ADN único para a Kia”.

Para além de ser o Chief Design Officer da Kia, Peter Schreyer é também um dos três presidentes da companhia, bem como Director de Design do Grupo Hyundai-Kia. Lidera a equipa de design da marca Kia, que envolve cerca de 300 pessoas, repartidas por três Centros de Design Kia em Namyang (Coreia), Irvine (Califórnia) e em Frankfurt.

Dez anos após a estreia mundial do “Tiger Nose”, a Kia vai apresentar o seu mais recente “Nariz de Tigre” na edição deste ano do mesmo Salão de Frankfurt. Será nesta mostra, uma das mais importantes da indústria mundial, que a marca vai revelar o modelo Stonic ao público pela primeira vez, traduzindo a aposta nos crossover de segmento B, a classe de mercado que mais cresce no mercado europeu. Este ano fica também marcado pelo lançamento do “Tiger Nose” mais “selvagem” de sempre: o Stinger, o Kia mais rápido da história. Ambos os modelos estão prestes a chegar ao mercado português.

Em Portugal, a KIA tem alavancado o Tiger Nose com duas iniciativas originais. A mais visível foi a produção de uma “Mascote Tigre” que anima as ativações da marca, sobretudo aquelas em que um dos target presentes são crianças.

A outra, menos visível, mas relevante do ponto de vista da responsabilidade social da marca, envolve o apadrinhamento do Tigre Siberiano no Jardim Zoológico de Lisboa, iniciativa lançada em 2016 e com a qual a Kia pretende dar o seu contributo para a conservação da biodiversidade e preservação de espécies ameaçadas.

A propósito desta ação, Pedro Gonçalves, Diretor de Marketing e Vendas da Kia Portugal, comenta:“Trata-se de uma relação que muito nos orgulha e que assume um papel fundamental na nossa estratégia de responsabilidade social.” Referindo-se às duas iniciativas “sob o signo do tigre”, Pedro Gonçalves adianta que “ambas têm animado os nossos dias e os dias de muitos fãs. Foram das coisas mais simples, mas também mais abrangentes, que já fizemos e que têm contribuído enormemente para estreitar os laços com a comunidade“.